Izaías Almada: o inferno são os outros

publicada quinta-feira, 27/10/2011 às 10:07 e atualizada quinta-feira, 27/10/2011 às 17:12

Por Izaías Almada

Segunda-feira: A Dra.Henriqueta acaba de atender a mais um de seus pacientes. Ela é pediatra e goza de prestígio na profissão. O paciente, um bebê de um ano de idade, deixa a sala no colo da mãe, que com expressão feliz prepara-se para pagar a consulta. “Quanto é?” pergunta a mãe. “A senhora vai precisar de nota?” dispara a secretária com seu ar profissional. “Vou” respondeu a mãe. “Com nota é setecentos reais e sem nota é quatrocentos e cinqüenta” “Nossa! E por quê essa diferença toda?” “É por causa do imposto de renda”… “Ah!”, exclamou a mãe.

Terça-feira: Reimilson é jornalista formado há pouco mais de três anos e conseguiu, até mais cedo do que pensava, trabalhar na redação de uma revista semanal, a Veja. Abriu uma ME em Cotia para pagar menos ISS nas notas fiscais que dava ao empregador pelo que recebia “oficialmente” como salário registrado em carteira. Recebia a diferença por fora.

Quarta-feira: dona Martha era separada do marido e tinha uma filha que se preparava para o vestibular. A pensão do marido não era suficiente para as despesas mensais. A filha ajudava com seu salário de secretária numa empresa de publicidade. Dona Martha, subsíndica do prédio em que morava, acertou com o porteiro fazer um “gato” para usar a internet do prédio sem que precisasse pagar a conta, uma economia de meio salário mínimo.

Quinta-feira: O senhor Robson Altamirano tornou-se comerciante no bairro do Brooklin, onde administra uma papelaria considerada a melhor da redondeza. Conseguiu montar dois esquemas em que tem dois tipos de notas fiscais para clientes que solicitam ou não a Nota Fiscal Paulista. Um deles, com a ajuda de um técnico, é acoplado à máquina registradora. O outro é na emissão de notas frias de um talonário que manda imprimir numa gráfica em Cotia.

Sexta-feira: Pedro é estudante universitário. Invariavelmente, a sexta à noite saía com amigos para uma cervejinha. Na última, já passada a meia-noite, foi surpreendido numa batida policial. Ligeiramente alcoolizado, lembrou-se do truque que aprendera com um dos colegas da faculdade: carregava sempre duas notas de cem reais junto aos documentos do carro. Não deu outra: o policial olhou para Pedro, olhou para o lado e, rápida e discretamente devolveu os documentos ao jovem. “O senhor pode ir embora”.

Domingo: Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo. Um grupo de pouco mais de quinhentas pessoas faz uma manifestação contra a corrupção no país. Cinco deles seguram uma faixa onde se lê: ABAIXO A CORRUPÇÃO NO GOVERNO. São eles exatamente a Dra. Henriqueta, o jornalista Reimilson, dona Martha, o comerciante Robson e o universitário Pedro.

E se combatêssemos também a hipocrisia, a ignorância e a má fé de milhares de cidadãos que repetem como papagaios muitas das mentiras espalhadas pela mídia venal e comprometida com o atraso?

Leia outros textos de Izaías Almada

Leia outros textos de Reflexões

38 Comentários

38 Comentários para “Izaías Almada: o inferno são os outros”

  1. Roque disse:

    Hipocrisia, oportunismo, revanchismo e outros ismos mais, tudo está por detrás dos atuais fervorosos combatedores da corrupção: Globo, Estadão, Veja… os Aceminhos e seus comparsas.

  2. John disse:

    Pagamento Por Fora (PF) não é coisa só de ‘revistinha ética’, tem muito disso nas faculdades particulares tipo unip, nas empresas médicas terceirizadas pelo governo paulista e assim vamos indo, combatendo a corrupção dos outros para que a nossa possa continuar livre e desenfreada.

  3. José Pereira disse:

    Quando um juiz nomeado do STF concede em menos que 2 horas um habeas corpus em favor de um bilionário condenado após anos de investigação policial num processo legítimo e legal presidido por um juiz federal, como podemos esperar que a sociedade proceda honestamente?

  4. Iun disse:

    São nomes rais? Estou pasmada.

  5. Remindo Sauim disse:

    De perto ninguém é normal, nem honesto.

  6. Marcia Costa disse:

    Perfeito, Isiías. Pena que muitas pessoas (mas muitas mesmo) possuem tanto preconceito e tanto ódio de uma sociedade mais justa, que certamente irão demonizar esse texto tão óbvio.

  7. Heberval disse:

    Caros amigos acho que deveria-mos criar uma campanha educativa em relações humanas, para o brasileiro sempre houve a mania de levar vantagens e tudo e contra todos. As palavras POR FAVOR, COM LICENÇA e DESCULPE ficam cada vez mais abandonadas e quando usamos somos tachados de otários. Se iniciar-mos hoje talvez nossos netos possam não ter que ver estes HIPÓCRITAS fazendo este tipo de baixaria e achando que isso é normal. Como é difícil ser educado neste país.

  8. Márcia Regina disse:

    Simplesmente espetacular, Izaías! E não é eu conheço milhões e milhões desses tipos? E por acaso não são alguns desses tipos os que estão na outra ponta dos esquemas do Min. dos Esportes (ainda não apurados, nem julgados, nem condenados pelas instituições oficiais), que esses mesmos tipos alardeiam ferozmente, mas seus nomes nunca são revelados??? A melhor palavra do Aurélio prá isso é Hipocrisia, misturada com má fé, saudosismo dos tempos tenebrosos e disputa ideológica fajuta. Como disse o Dep. Henrique Fontana (PT-RS), o que essa turma não quer mesmo é limpar a corrupção, porque isso necessariamente passa por lutas democráticas, inclusive da mídia, abolição de privilégios e de uma reforma política séria, com participação popular e financiamento público ded campanha, por exemplo.
    Sua argumentação e conteúdo estão perfeitos!

  9. Noir disse:

    Parabéns ao Izaías por descrever a verdade do dia a dia de nossa sociedade.
    Essa é a sociedade que reclama por justiça.
    Está perfeito.

  10. Felipe disse:

    É um leve tapa na cara… pena que os hipócritas não lerão, afinal, os “indignados” não leem blog sujo

  11. Hélio disse:

    Corruptos são os outros. Esses são espertos e dão o “jeitinho”…

  12. Ruy Barbosa Maciel disse:

    É assustador o poder que o oligpólio midiático detem no Brasil.

    Seus financiadores são os grandes corruptores que estão arraigados no Estado.

    Estes sim deveriam ser apontados, denunciados, tornando público seus nomes, suas empresas, seus conglomerados, suas holdings, mas esta imprensa ao contrário que diz a Folha da Província de São Paulo, o jornal mais vendido do Brasil, antigamente era denominado o jornal de maior “tiragem” do Brasil, está até o pescoço comprometido com estes grupos e poderosos conglomerados industrial/financeiro.

    Isto aplica-se à quase totatalidade da mídia gorda.

    Chega a causar náuseas quando se ouve um apresentador de telejornal como o Alexandre Maluf garcia, (como assim o trata PHA), conclamando o povo á moralidade.

    Logo Ele, que foi demitido pelo ditador Figueiredo, por conceder uma entrevista, em trajes ítimos e gabando-se de como era confortável sua garçoniere onde era “abatidas” suas presas.

    Isto quando ele era um Porta Voz do governo do Brasil. Imagine se isto ocorresse neste governo trabalhista que aí está.

    Seria o caos. Um estardalhaço de durar 1 ano. Governo composto por imorais!

    E pensar que até 2005 eu levava esta gente a sério.

    Só vim a desonfiar deles quando percebi que em 2005 eles estavam preparando um golpe, eu associei tudo que eles diziam aqui com o que a disseram na venezuela.

    Bingo! percebi que estavam montando um golpe.

    Confesso que até 2005, tudo que eu escrevi aqui era do meu total desconhecimento, tudo.

    Mas há de convir-se até 2005 a internet não era isto que está aí, esta quantidade de blogs e livre pensamento.

    Eu não tinha a oportunidade de ler e de graça, escitores da estirpe do senhor, que participou ativamente da luta pela democracia deste país.

    Falta agora o governo fazer sua parte. Todos os cursos apartir do fundamental chegando ao ensino superior, deveria ter uma matéria chamada: Sociologia. Que todos leiam Florestan, vamos politizar o povo.

    Ruy Barbosa maciel- Governador valadares MG

    email: [email protected]

    Se publicares meu comentário, pode publicar o email. É público.

    • JP Terra disse:

      Fez uma boa análise Ruy, mas temos esquecido demais que órgão de imprensa, seja ele qual for, é uma concessão pública. Os que se opõe a eles estão “cerceando a liberdade de imprensa”. Muito antes de 2005 eu já entendia isso e, principalmente que Opinião publicada não significa Opinião Pública.

  13. CLAUDIO LUIZ PESSUTI disse:

    E o famoso faca o que eu digo mas não faca o que eu faco.A culpa e sempre “do governo”.A que sonega imposto por exemplo diria que “tem ladrão” no governo, por isso ela sonega.O que pagou o policial diz que “estas leis aprovadas por corruptos e só para arrecadar e roubar” e por ai vai.Dizem que cada povo tem o pais que merece.Acho que e verdade.

  14. Rafael disse:

    O que vc está dizendo? Que ninguém tem moral pra criticar a corrupção do governo? Tenha dó…

    • Marcelo Solidade disse:

      Não amigo Rafael. O que o Isaías está dizendo é que educação começa em casa, pois enquanto formos o povo do jeitinho, do “por fora”, da cervejinha, do agrado teremos em nossa esféra pública, nos três poderes, pessoas dando seus jeitinhos, seus “por fora”, suas cervejinhas, seus agradinhos, e não vai adiantar chiar. Ao não ser que consigamos extirpar da política nacional os partidos trabalhistas e entreguemos o poder absoluto a mídea golpista e a “massa cheirosa” da direita, por que esses podem vender emendas, como foi denunciado em São Paulo, e não indignar ninguem.

  15. Marcelo Solidade disse:

    Junto a esses deviam estar no protesto todos aqueles que compram dvd’s piratas ou apresentam carteiras de estudantes falsas para pagar meia entrada. Sempre digo aos meus amigos,que quando a imprensa divulga as campanhas que pregam que a carga tributária do Brasil é a maior do mundo, devemos nos perguntar a quem pagamos esses impostos, já que grande parte dessas quantia é sonegada por comerciantes entre outras sonegações.
    Aproveito para relatar uma experiência pessoal. Trabalhei alguns anos para o grupo pão de açucar que é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores empregadores do país. Anualmente a empresa dá a seus funcionários um benefício que deve aparecer nos balancetes da empresa como distribuição de lucros. Esse valor é proporcional aos anos de serviço do funcionário, porem é pago em um cartão de benefício que só pode ser usado nas lojas do próprio grupo. Ou seja, a empresa engorda suas vendas no fim de ano e abate esse valor de imposto de renda. Esses são os indignados.

  16. Jorge Moraes disse:

    Um mundo isento de corrupção é algo impossível. Tudo se corrompe: o nosso corpo, o ar que respiramos, os materiais utilizados para que tenhamos um teto para que nos abriguemos, e assim por diante. Resgatemos o sentido / acepção original das palavras; no caso o da palavra “corrupção”. Trata-se de degradação. Esse mundo isento de corrupção, aí já no sentido mais usado hoje em dia, também é impossível. O máximo possível é reduzí-la. E se olharmos o passado (relativamente) recente e mesmo o mais remoto (e falo remoto mesmo, vide império romano, etc.) verificaremos que a coisa até que melhorou. Se choco, paciência. É a história que demonstra isso. A classe média (aquela típica) brasileira inventou e adotou sse olimpo isento de corrupção para não ver a sua própria. A acumulação primitiva não teria sido possível sem corrupção.

    • Geraldo Magela Ramalho disse:

      Ninguém fez discurso mais moralista nesse país do que o PT quando estava na oposição.Lula chegou a declarar que ninguém era mais ético do que ele.Logo ele, que se uniu a Sarney,considerado por Lula o maior ladrão da república, e aos 300 picaretas que ele tanto combatia e que hoje fazem parte da base aliada.

  17. Nilson Moura Messias disse:

    Garanto: Todos eleitores dos demotucanos. Cinismo é com este povo mesmo.

  18. Aracy disse:

    Texto brilhante. É a mais pura verdade. A corrupção é sempre a dos outros, a fraqueza e a imoralidade estão sempre acolá, nunca aqui. Falar dos outros fácil, praticar a moralidade no cotidiano é que são elas.

  19. Santiago disse:

    Minha vó dizia que quando o macaco quer falar do rabo do outro, enrola o próprio rabo e senta em cima. Os verdadeiramente honestos nunca ficam apontando o dedo para os outros, apenas faz seu trabalho com honra e ética.

  20. Jorge Silveira Lopes disse:

    Meu Carto Escrevinhador,

    É, deveras, tão brilhante quão exasperadora a bem descrita sequencia dos acontecimentos descritos no curso da semana utilizada para inspira-lo.

    Atentei para a sua cautelosa ressalva quanto ao emprego de nomes fictícios na identificação cada um dos personagens enfocados. Mas, francamente, independentemente disso – bem o sabemos – não é preciso nenhum grande esforço para encontrar-se pessoalmente cada um desses indivíduos no nosso convívio diário com a realidade competitiva, egoísta e desumana dos grandes centros urbanos.

    Não resisti, francamente, à íntima necessidade de ombrear-me aqui ao seu heroico e competente esforço para sensibilizar os nossos concidadãos quanto às nefastas angústias que o tão “divertido jeitinho brasileiro” impõem às vidas daqueles que – pautados no respeito ao próximo e à Cidadania – sofrem, todos os dias, os vis efeitos da falta de empatia, de gentileza e de generosidade, no trânsito, nas filas dos bancos, dos restaurantes self service da vida e demais iniciativas imprescindíveis e decorrentes do inafastável convívio social.

    Receba os meus agradecidos cumprimentos e sinceros votos de sucesso no seu intento de convencer o Brasil de que Cidadania ≠ “jeitinho brasileiro” !

  21. Francisco José Palácio disse:

    Mais um caso para enriquecer o ótimo artigo do grande Izaias alamda. Domingo (23/10): de acordo com o MEC, o Colégio Christus distribuiu apostilas com questões similares e até mesmo iguais as do exame que aconteceu nos dias 22 e 23. Por isso, os alunos do Christus, pertecentes a classe média alta fortalezense terão que refazer as provas do ENEM, agora, junto com quem sabe, reclusos do sistema penitenciário, em novembro. O lugar é bem apropriado, se bem, que para os professores fraudadores, local onde eles deveriam está. Esse caso se junta aos outros relatados por Izaias Almada no artigo acima citado, onde as pessoas abaxio, participaram, dias atrás, de uma manifestação contra a corrupção no país. Cinco deles seguravam uma faixa onde se iia: ABAIXO A CORRUPÇÃO NO GOVERNO. Quem segura a faixa? Dra. Henriqueta, o jornalista Reimilson, dona Martha, o comerciante Robson e o universitário Pedro. Esses, e o pessoal da elite do Christus, querem o fim da corrupção nos governos, não o fim das ilicitudes e ações nada éticas praticadas por eles. Hipocrisia, ignorância e má-fé são o cardápio dessa elite apodrecida que só exerga os seus próprios interesses, nada mais. Repito: o Christus é um dos mais tradicionais colégios particulares da capital cearense, cuja elite não difere da turma da paulicéa desvairada. O MEC fez bem ao anunciar a anulação das provas para os alunos do Christus, que, incentivados por seus professores/educaqdores (vejam só, professores/educadores!) fizeram as provas do ENEM, nos dias 22 e 23 últimos, já sabendo(?) de tudo. Para essa gente, tudo normal, afinal, os seus membros (dessa gente) foram ungidos desde a orígem.

    • izaias almada disse:

      Grato pelo esclarecimento, Francisco,
      Eu mesmo não tinha ideia de quem eram os alunos e professores do citado colégio. Isso comprova, em parte, o que se passa no meio da classe média conservadora – emergente ou não – que, além de hipócrita (sei de casos até mais estarrecedores)não tem qualquer noção de cidadania e espírito coletivo. Essa é a grande massa de manobra da direita golpista.
      Mas não passarão. O mundo mudou bastante, eles é que ainda não perceberam.

    • Ygor C.S. disse:

      Meu caro, você está bem por fora. O colégio Christus é de elite por ser caro, mas está repleto de pessoas da classe média e de pessoas de todos os espectros políticos e comportamentais. Estudei lá e lá assisti a frequentes conflitos e debates entre alguns poucos colegas direitistas meus e os professores de História que eram até esquerdistas de forma muito explícita (em algumas matérias). Lá conheci e conheço pessoas extremamente engajadas, muitas pessoas progressistas, pessoas éticas e de excelente conduta. É extremamente fácil julgar os milhares de estudantes – sim, só no último ano são mais de 600 – com base em um fato ilícito do qual nem se esclareceram ainda os detalhes, a autoria, o nexo causal nem nada que nos permita afirmar com certeza razoável se o colégio é realmente culpado e quem dele participou do ato (óbvio, preciso dizer mesmo?, que não foi todo mundo que soube do que estava sendo feito). Os alunos – conheço alguns deles – fizeram o caderno de questões como qualquer outro, não sabiam de forma alguma que aquelas eram necessariamente questões iguais às do ENEM. Portanto, informe-se melhor, seja menos precipitado, exerça um pouquinho aquilo que a Presidente Dilma com sua sabedoria e experiência já enfatizou várias vezes (“presunção de inocência”) e, com isso, aprenda a falar de forma tão severa apenas quando tiver certeza. E mesmo que se venha a provar culpa do colégio ou de um professor, por favor nos poupe de vê-lo destilar preconceitos contra milhares de jovens apenas porque tiveram essa “terrível culpa” de nascer em famílias de classe média e alta, até porque, a minha inclusive, boa parte desses estudantes vem de famílias cujos pais suam muito o mês inteiro para pagar mensalidades caras visando à boa educação dos filhos. Não é esse “paraíso” de riquinhos à la Beverly Hills que você está pintando. Não mesmo.

  22. Laura Beleza Rocha disse:

    Adorei o artigo. Tenho uma política pessoal de procurar ser o mais correta possível, mas, jamais comentar/criticar as “incorreções” alheias, exatamente para não figurar um dia em um artigo como este.
    Parabéns Isais Almeida, pela percepção, sensibilidade.

  23. Paulo Muchon disse:

    Legal, mas não dá pra desclassificar as manifestações contra a corrupção. Só porque a direita usa de forma oportunista essas manifestações para se promover não quer dizer que não seja necessária. Não podemos aceitar uma nova “marcha da família”, mas não dá pra negar o problema da corrupção. A esquerda sempre fala em estado forte, mas não existe estado forte e corrupto, não adianta captar recursos e pouco disso voltar para a população. O acúmulo de recursos de um estado forte e corrupto é tão perverso quanto a concentração de riquezas causada pelo neoliberalismo. Não quero trocar 6 por meia dúzia.

  24. Osmar disse:

    Como diria o Cap. Nascimento, “é o sistema”. O “sistema” é muito mais difícil mudar, assim como a cabeça das pessoas. Infelizmente muita gente honesta no Brasil é passada pra trás, e poucos (que vão virando muitos) acabam realizando atitudes erradas para se darem bem pois acabam se cansando de tanto se dar mal. Num caixa de padaria, as maioria das pessoas ficam loucas quando é cobrado 10 centavos a mais, estas mesmas que quando recebem 1 real a mais vão embora felizes da vida (a minoria devolve o dinheiro a mais). O Brasil arrecada trilhões de impostos, e deveria arrecadar mais, 1 trilhão deve sumir nos bolsos, cuecas, meias etc.. Talvez se a corrupção fosse legalizada o governo poderia arrecadar mais e ajudar a população que não sabe escrever a palavra internet no Brasil, idosos, crianças etc..

  25. steve robertolee disse:

    Faltou a patroa que não registra empregada….e se gaba de ser honesta no salão que frequenta…

  26. NilvaSader disse:

    Anos atrás o síndico do meu prédio, junto com alguns moradores, montaram uma academia no mezzanino e para usá-la deveríamos pagar por fora para os donos dos equipamentos. Eu só soube porque uma condômina tocou em casa para me contar. Falei com o síndico que era ilegal e pedi que chamasse uma Assembleia. Fui hostilizada pela grande maioria deles. A AGE foi marcada no mesmo dia da cassação do Severino e as pessoas estavam ávidas pela sua queda. Eu simplsmente comparei os dois casos e falei que todos ali estavam agindo da mesma forma que ele, que era uma ação entre amigos e fora da lei. Ouvi que a lei era o que os condoôminos quisessem, quem mandava ali eram eles, que eu era nova no prédio(10 anos) que estava querendo sentar na janelinha, me ameaçaram tanto que eu institui advogado pra processar o prédio. Eles foram obrigados a fechar a academia até nova AGE, com unanimidade, que é o que manda a lei.
    Só sei que todos ficaram p da vida comigo, por tê-los chamado de corruptos.

  27. Carla Bergamo disse:

    FANTASTICA!

  28. Impostos pago não é dinheiro roubado, mas sonegado é

    “Vende-se, por estas bandas, a ideia de que dinheiro de imposto é dinheiro subtraído da sociedade. Um argumento tão repetido pela mídia (e pela oposição ao governo) que, para muitos, se tornou uma verdade.” (André Siqueira)

    Veja:

    http://www.viomundo.com.br/politica/andre-siqueira-imposto-pago-nao-e-dinheiro-roubado.html

    Jesus Divino Barbosa de Souza
    https://twitter.com/JesusDivino
    http://jesusprev.zip.net

Comentar