Operação 2010: trio das sombras agora ataca Franklin

publicada quarta-feira, 08/04/2009 às 16:35 e atualizada quinta-feira, 03/06/2010 às 16:05

A Operação 2010 segue a mil no Partido da Imprensa.

Sem coragem pra atacar Lula (um presidente que, no imaginário popular, começa a se aproximar de Getúlio Vargas), nossos corajosos homens da mídia voltam suas baterias para outros pontos. Domingo passado, a vítima foi Dilma, na “Folha” – http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/operacao-2010-como-e-por-que-a-folha-ataca-dilma. A revista “Piauí” também publicou um perfil da Dilma, na mesma linha (mas, volto a esse assunto em outro texto).

Agora, o ataque foi a Franklin Martins – ministro da Comunicação Social.

Sem coragem para atacar Lula, trio das sombras ataca Dilma; e agora move as baterias contra Franklin Martins

O trio das sombras agiu de forma coordenada (como acontece desde 2006): primeiro, Diogo Cão apresentou a “denúncia” na “Veja”; a “Globo” de Ratzinger – claro- “repercutiu”. E, depois, o esgoto correu a céu aberto nas páginas da “Folha”.

O que temos aqui? Vejam: um relatório do setor de inteligência da PF levanta suspeitas contra Victor Martins – diretor da ANP (Agência Nacional do Petróleo). Ele é acusado de “vender” às prefeituras a possibilidade de obter valores mais altos de royalties de petróleo, desde que os municípios contratassem a empresa Análise Consultoria e Desenvolvimento, que pertence à mulher dele.

A “Folha” hoje traz um quadrinho com o “suposto esquema”. É um gráfico com o fluxo de favores e tráfico de influência: tudo muito didático, tudo muito claro.

Mas, um detalhe me chamou atenção: não havia o nome de nenhuma Prefeitura, nem o número de nenhum contrato firmado com a tal Análise Consultoria.

Fui ler a matéria com mais atenção. Aí, aparece o seguinte:

- Victor diz que a empresa da mulher dele não assinou contrato com nenhum Prefeitura desde que ele assumiu o cargo na ANP (está mentindo? então, onde estão os contratos? A “Folha” não vai mostrar?);

- a PF instaurou inquérito com base no relatório do serviço de inteligência; e no relatório Victor não é citado;

- o Ministério Público Federal questiona o inquérito porque é ”baseado só em notícias de jornal“;

- o superintendente da PF no Rio diz que o relatório do serviço de inteligência está em fase preliminar, e só poderia ser anexado a um inqérito desde que “robustecido” com mais provas.

Ou seja: não há absolutamente nada de concreto.

Poderia até haver. Mas, não há. É campanha pura.

O Procurador da República diz que o relatório se baseia em notícia de jornal. Conheço essa história: jornais e revistas fazem matérias especulativas; mandam tudo pra um delegado, que instaura investigação; aí a imprensa divulga que a polícia está investigando.

É uma vergonha.

Mais algumas perguntas: o que Franklin Martins tem a ver com isso? Ele indicou o irmão pra ANP? Há provas disso? Franklin se beneficou de algum esquema envolvendo o irmão?

Francamente, é campanha política pura.

No caso de Diogo Cão, campanha pessoal. Ele detesta o Franklin. É um problema pessoal.

A elite brasileira (e os donos da imprensa , especialmente o trio das sombras, são o setor mais atrasado de nossas elites) não perdoam gente que enfrenta, que não se dobra.

Vou contar uma história que pouca gente sabe: em 2006, entre o primeiro e o segundo turnos, Lula chamou um dos filhos do Roberto Marinho e o representante dele em Brasília, para uma “conversinha”. Queria saber porque Ratiznger tinha aprontado tanto na reta final do primeiro turno.

Pouca gente sabe dessa reunião. Mas, ela aconteceu. O pessoal, lá no Palácio do Planalto, sabia em detalhes de tudo que Ratzinger tinha aprontado na Globo. As informações circulam…

Dilma estava no encontro em Brasília. Foi duríssima com os Marinho, deu um pito nos caras. Eles não perdoam essas coisas.

Não perdoam também Franklin, que, depois de ser “expulso” da Globo na “Operação 2006″ (porque se negou a fazer coro a Ratiznger durante o “menssalão”), virou ministro de Lula.

Lula mandou um recado à Globo com a nomeação de Franklin.

Franklin está construindo a TV Brasil (contra os interesses dos barões da mídia). Franklin ajuda a viabilizar a ”Conferência de Comunicação” – que vai discutir abertamente temas delicados como concessões, monopólio e manipulação na imprensa brasileira.

Franklin precisa ser contido, porque é um sujeito que sabe o que quer, é meticuloso, cauteloso, mas sabe atacar na hora certa. O embaixador dos EUA que o diga.

A “Operação 2010″ está em curso. Essas são só as primeiras escaramuças. A luta será duríssima.

Franklin e Dilma, certamente, vão reagir. Precisam reagir.

Leia outros textos de Força da Grana

Nenhum Comentário

Comentar