E quem é a favor da corrupção? Política é bom e eu gosto!

publicada quinta-feira, 20/10/2011 às 20:05 e atualizada sexta-feira, 21/10/2011 às 20:02

Por Pedro Abramovay, no Observador Político

Demorei pra conseguir escrever algo sobre essas manifestações que têm ocorrido no Brasil contra a corrupção. A demora se deve, sobretudo, a um sentimento ambíguo que tenho sobre esta movimentação.

É claro que todo movimento de rua me parece interessante. Revela a vibração democrática do país e, sempre, contribui para o fortalecimento do debate público. Democracia sem atos públicos é chata e, em geral, é uma farsa.

Mas no caso destas manifestações há um outro aspecto positivo. Elas se encaixam em uma nova série de atos gestados a partir das redes sociais. São manifestações que nunca ocorreriam se não houvesse essa esfera de comunicação na qual pessoas que nunca se conheceriam se encontram e descobrem interesses comuns.

Manifestações, até muito recentemente, só aconteciam quando organizadas por partidos, sindicatos ou associações. Ora, há temas que não interessam a esses grupos. O caso da marcha da maconha, para mim, é um ótimo exemplo. Apesar de alguns setores das esquerdas defenderem a descriminalização da droga, pela polêmica que a questão envolve, não interessa a um partido levantar esta bandeira. A comunicação por meio de redes sociais, sem a mediação de instituições tradicionais, permitiu que milhares de pessoas se mobilizassem sobre o tema no Brasil.

Mas há duas questões nas marchas contra a corrupção que me incomodam. A primeira é que uma manifestação, para ser relevante. precisa tratar de um tema polêmico. A energia da mobilização política deve servir para mobilizar em torno de um tema sobre o qual não há consenso. Uma manifestação que defenda temas sobre os quais ninguém é contra publicamente me parece um desperdício de tempo. E ninguém é a favor da corrupção.

Por isso fiquei feliz quando vi que haviam algumas bandeira concretas (mas me pergunto, sinceramente, se aquelas pessoas de fato estavam lá em torno destas bandeiras). No geral, bandeiras positivas. Apoio à implementação da Ficha Limpa, contra o esvaziamento do CNJ e a favor do fim do voto secreto no Congresso (para mim a melhor de todas as reivindicações). Mesmo sendo medidas interessantes, não são medidas que diminuiriam sensivelmente a corrupção no Brasil. Ou seja, a marcha contra a corrupção não propõe nada que tenha a robustez de lidar de forma mais ampla com o problema, que é sério e complexo.

Mas o que mais me incomodou neste movimento foi ouvir que, em alguns casos, se proibiu a presença de políticos (sobretudo parlamentares) e de pessoas com camisetas de partidos políticos. Acho isso muito grave. Por vários motivos.

Partidos políticos – e o parlamento – são instituições essenciais para a democracia . E a democracia é composta de instituições. A imprensa livre, o judiciário independente, o parlamento eleito em eleições diretas e universais e a liberdade partidária são imprescindíveis para qualquer democracia no mundo.

Vedar a presença de partidos e parlamentares em manifestações públicas (que não é o mesmo que não permitir que manifestações sejam cooptadas pelos partidos) é tão grave quanto impedir que a imprensa cubra determinado evento público.

Não sei se há por trás das manifestações o desejo de acabar com o Congresso ou com os partidos. O mundo já viu – e ainda vê- estruturas institucionais sem liberdade de atuação dos partidos e sem parlamentos. Não são exatamente exemplos de sociedades democráticas. Se as propostas forem estas é importante que fiquem claras, porque aí serei o primeiro a me opor.

Mas não parecem que sejam estas as propostas. Ao contrário, as reivindicações falam de leis que já foram (ficha limpa) ou que devem ser (voto aberto) aprovadas pelo Congresso. Portanto há aí uma contradição. Está se dirigindo uma mensagem para instituições ao mesmo tempo em que elas são tratadas como inimigas. As manifestações devem comemorar que deputados queiram participar e devem ver neles aliados em suas mobilizações.

Tratar todos os políticos como ladrões é criminalizar a política. E sem política não há transformação real da sociedade. O “que se vayan todos” na Argentina, por exemplo, não gerou nenhum elemento concreto de fortalecimento da democracia. Assim, não me parece que esta seja uma atitude produtiva ou inovadora.

É fundamental que as pessoas percebam que a rede deu à sociedade civil a possibilidade de construir movimentos sem precisar dos partidos. Este é um elemento novo e que fortalece a democracia. Mas imaginar que é possível construir esses movimentos contra os partidos e, mais grave, contra o parlamento é desperdiçar o potencial de mobilização dessas marchas e um atentado contra a democracia.

Leia outros textos de Outras Palavras

20 Comentários

20 Comentários para “E quem é a favor da corrupção? Política é bom e eu gosto!”

  1. O Eduardo Guimarães foi ao ato e entrevistou várias pessoas. O resultado foi péssimo. A maioria dos entrevistados é viúva de FHC.

    Prefiro a ideia da CUT: Ocupar o Copom, exigindo que os juros baixem mais aceleradamente.

  2. jace maria disse:

    Queremos beber as àguas límpidas da justiça e da concordia . O menino trigueiro quer o futuro e nós vamos ficar de vigilia.

  3. Vander disse:

    Isto mais me parece a manifestação dos 1%…

  4. Ótimo texto, Pedro. Traduziu alguns incômodos meus também com esse engodo todo.

  5. RONALD disse:

    E no BRASIL…..IL…IL….
    Aqui caras/caros temos a obrigação como cidadões com alguma luz de criar um movimento para melhoria do povo brasileiro(nós).
    O movimento OCUPEM A JUSTIÇA.
    - protesto contra os desmandos do STF em condenar a imprensa e os ricos;
    - protesto contra o PIG como partido político.
    -PROTESTO FORA A REDE GLOBO(PRECISA RENASCER)
    - E por aí vai….me deem mais luz……
    RONI

  6. O maior analfabeto é o analfabeto político, porque não sabe ele que o preço do pão, feijão…..depende da política.

    Documentário – Arquitetos do Poder
    Um mergulho na relação entre mídia e política no Brasil http://fwd4.me/07dJ

  7. Thelma Oliveira disse:

    Achar que essas manifestações são frutos espontâneos da rede é de uma ingenuidade… Nâo podiam comparecer políticos da esquerda, porque do DEM e assemelhados apareceram, sim. Me incomoda essa ingenuidade que levou muitos a participar como massa de manobra, dentro de um movimento oco e mentiroso ao se colocar como apartidário.

    • MARCELO disse:

      Thelma,a esquerda juntamente com PSDB e DEM deram uma banana
      para o Rio de Janeiro na votação dos royalties do pré sal no
      Congresso.Não entendi os bancários do BB e da CAIXA fazerem
      greve.Nem os carteiros.Aí tem…..

  8. Valdo Andrade disse:

    Assim como para erguer um edificio é necessário uma fundação, derrubar a Dilma também carece disso. Cria-se esse movimento anti corrupção, seletiva diga-se de passagem, onde apenas o governo federal é alvo e portando o inconsciente coletivo é manipulado. Denuncias, cirurgicamente publicadas, abastecem ainda mais esse movimento dando legitimidade a uma ação mais forte que é, sem dúvida, a derrubada de Dilma

    • lourdes disse:

      Concordo plenamente, o que mais me incomoda é este caráter seletivo de luta contra a corrupção! Na verdade a “luta” contra a corrupção é só uma cortina de fumaça, um caldo de cultura, pra preparar o terreno da derrubada ou esvaziamento (sangrar até morrer lembram-se) do governo Dilma.

    • Daniel disse:

      Sim, Valdo, também acho que estes movimentos com “varre, varre, vassourinha” e com “a família e a tradição” são golpistas e preparam terreno para alguém que venha “acabar com a bandalheira” e “restabelecer a ordem”.

      Já vi este filme antes (pelos olhos de meu pai e outras testemunhas, pois só nasci depois do AI-5) e final não foi feliz.

      Quem não tem apoio popular precisa criar o clima de incerteza para granjear apoio da maioria, que é conservadora. Por isso insistem na tecla da “corrupção”, o nome novo da “bandalheira” do Jânio.

  9. Décio disse:

    Ótimo Texto Pedro Abramovay, e é bom lembrar que as redes sociais tem seus líderes, que muitas vezes estão encobertos no anonimato.Os políticos tem RG, domicílio eleitoral e vida no parlamento.Lutar pelo fim do voto secreto no Congresso e o Ficha Limpa é uma forma de separarmos o joio do trigo. Já dizia Nelson Rodrigues, que toda a generalização é burra.Acabar com essa ideia, de que nem todo é tudo.Parabéns e a verdadeira democracia agradece!

  10. Iun disse:

    Está sendo gestado um Caras pintadas, já que o anterior deu certo para eles. Não exatamente para o povo. Este nem percebeu o que ocorreu.

    Li no jornal do Racionalismo Cristão de Outubro, um artigo de um militar do Rio, se vangloriando de sua luta contra os baderneiros. Está havendo um movimento sim.
    em SP está claro que está havendo. A direitona se organiza lentamente para atacar. Cuide-se Dilma.

  11. Iun disse:

    E há o Alkmin de plantão. Ou acham que não chamariam ele ou que ele não aceitaria?

    E acham que o espaço Kassab é esquerda?

    Quem pagar mais levaKassab.

  12. John disse:

    30% dos deputados paulistas são corruptos e apoiam a marcha contra a corrupção.
    O Maluf é totalmente contra a corrupção.
    O Arruda é defensor da pena de morte para corruptos.
    Mas isso tudo é só para a corrupção dos outros, desde que a deles fique correndo solta e desenfreada como sempre aconteceu.
    Maniofestação contra corrupção tem que ser feita nas camaras, assembleias e senado com faixas mostrando o que eles fazem e até com os nomes dos corruptos.
    Se não for assim, vai contibnuar tudo igual ou pior.
    Perguntem para o Bruno Covas se ele é contra ou a favor a manutenção da corrupção.
    Com absoluta certeza ele vai dizer que é contra, mas vai continuar escondendo tudo que sabe, pois senão seu partido acaba na cadeia.
    Essa marcha é inócua e só tem valor partidário para os que são contra o governo federal.
    O foco deveria sem mais embaixo, onde os politicos novos como esse tal BRUNO, aprendem todas a técnicas de furto e roubo de grana publica.
    Hipocrisia

  13. Edno Lima disse:

    Gostaria de saber qual partido da base do governo tem moral para participar de atos contra a corrupção?? O PT, o PMDB, o PC do B, o PP? Piada né!

  14. Will Belmeck disse:

    Gostaria de saber qual partido de oposição tem moral para participar de atos contra a corrupção ?? O PSDBosta, o DEMente, o PPS (Partido de Periferia do Serra)? Piada, né !!! Sai fora, seu Demotucano !!!

    • MARCELO disse:

      Will,Will…o PT apoiou o PSDB contra o Maluf em 98 no
      segundo turno para governador de SP.O PPS apóia o Agnelo
      Queiroz no governo do DF.O Covas apoiou o Lulla em 89 contra
      o Collor.Tudo isso eu soube graças a internet.E o Delubio,
      Silvinho,Valdomiro Diniz,Freud Godoy,etc,etc,etc…..

  15. Sidnei disse:

    A propósito, desenvolvi ideias parecidas acerca do tema.
    Quem quiser, confira aqui: http://sidnei-quasetudo.blogspot.com/2011/10/alguem-marcharia-favor.html

  16. Jackson Gracher disse:

    CANSEI…

    O grande acesso as Redes Sociais faz com que rapidamente se dissimule entre a população verdades e mentiras.
    O que antes necessitava de anos e anos, hoje acontece em dias. As manifestações de opinião, os boatos, as farsas, as receitas para uma vida melhor, para viver mais, par conquistar fortunas e amores. Tudo acontece na Internet cm altíssima velocidade.
    Algo que nos parece não mudar é a quebra de um paradigma social secular.
    A inocência empresarial x a culpa dos políticos!
    Incrível, mas, nestes longos anos de navegação, ainda não vi alguém que tente desmontar essa farsa.
    Qualificar generalizadamente os políticos de corruptos e, os empresários sequer mencioná-los como os corruptores é de uma infantilidade e, leviandade histórica.

    Para haver corrupção é necessário os dois – Corrupto e Corruptor.

    Mas, como sempre a “força da grana que ergue e destrói coisas belas”, continua mantendo os chamados “órgãos de imprensa” e, patrocinando essa farsa, esse silêncio cúmplice e conivente.

    Há que se lançar um desafio e, quem sabe, tornar Lei que a mesma divulgação que se faz sobre a Corrupção seja feita identificando e qualificando os Corruptores e, os Corruptos.

    Os Políticos honestos e éticos deveriam estar atentos e, promover este desejo na sociedade demonstrando em seus discursos, suas propostas, suas aparições a argumentação que comprova essa necessidade.
    Pois, Política, Religião e Futebol se discute sim e, a cada discussão se mostra a transparência que revela suas misérias, falhas e, pecados.
    Mudemos isso, pois, não há Democracia sem Política assim como não há ética sem transparência, vigilância e, punições.

Comentar