Outras Palavras


  • Safatle: Maria Antonieta e o nosso tempo

    Em 2006, a cineasta Sofia Coppola lançou um filme sobre Maria Antonieta. Ao contar a história da rainha juvenil que vivia de festa em festa enquanto o mundo desabava em silêncio, Coppola acabou por falar de sua própria geração. Esta mesma que cresceu nos anos 1990. Talvez valha a pena lembrar disso agora porque quem cresceu nos anos 1990 foi doutrinado para repetir compulsivamente que tal massa não existia mais, que seus gritos nunca seriam mais ouvidos, que estávamos seguros entre uma rave, uma escapada em uma concept store e um emprego de “criativo” na publicidade.

  • Trinta anos atrás hoje: o dia em que a classe média morreu

    De tempos em tempos, alguém com menos de 30 anos irá me perguntar: “Quando tudo isso começou, o deslizamento da América ladeira abaixo?”. Eles dizem que ouviram falar de um tempo em que o povo trabalhador podia criar uma família e enviar as crianças à faculdade com a renda de um só dos pais. De um tempo em que quem quisesse ter um trabalho remunerado decente o teria; em que as pessoas só trabalhavam cinco dias por semana e oito horas por dia, tinham todo o fim de semana de folga e as férias pagas todo verão.

  • MP tenta barrar privatização dos leitos do SUS

    Da Rede Brasil Atual: Ministério Público quer impedir governo paulista de agir baseado em decreto que, entre outras coisas, permite a venda de leitos do SUS em hospitais já superlotados. “Se a lei for implementada vai gerar uma situação aflitiva na saúde pública do Estado”, explica o promotor Arthur Pinto Filho.

  • “Não é crise. É que já não te amo”

    Por Manuel Castells: Quando milhares de [jovens] indignados, [que ocuparam as praças da Espanha], tiram de foco a “crise” e atacam diretamente o sistema que produz tantos desarranjos, estão sustentando algo importante. Querem dizer que é preciso ir à raiz dos problemas, olhar para suas causas. Porque se elas persistirem, continuarão produzindo as mesmas consequências.

  • FAB contesta reportagem do “Fantástico”

    Nota da FAB: O Comando da Aeronáutica repudia veementemente o teor da reportagem do jornalista Valmir Salaro. A matéria em questão parte de princípios incorretos e de denúncias infundadas para passar à população brasileira a falsa impressão de que voar no Brasil não é seguro. A reportagem contradiz os princípios editoriais da própria Rede Globo ao apresentar argumentos com falta de Correção e falta de Isenção, itens considerados pela própria emissora como sendo atributos da informação de qualidade.

  • Amorim toma posse e Dilma alfineta Jobim

    Da Carta Capital: Em uma breve cerimônia no Palácio do Planalto nesta segunda-feira 8, em Brasília, Celso Amorim assumiu o Ministério da Defesa. No entanto, foram as alfinetadas da presidenta Dilma Rousseff ao ex-ocupante do cargo, Nelson Jobim, que se destacaram. Dilma apresentou Amorim como um homem de Estado e dedicado ao Brasil, em uma comparação irônica a Jobim.

  • Violência sexista: os 5 anos da Lei Maria da Penha

    Por Sirlanda Selau: A Lei Maria da Penha teve o condão de trazer ao espaço dos interesses públicos, a realidade trágica, que milhares de brasileiras estão submetidas. A violência doméstica, aquela que de dá no âmbito das relações de afeto e no seio do espaço acolhedor dos lares, foi descortinada, e este foi o grande passo a frente, dado com aprovação da Lei: transitar da invisibilidade para a atenção da coletividade.

  • CUT cobra distribuição de renda

    Por Arthur Henrique: Queremos o desenvolvimento da indústria brasileira e de todos os setores econômicos do País, afinal isso abre possibilidades para a geração de empregos e de geração de renda. Portanto, não somos contra as intenções do Plano Brasil Maior, anunciado no último dia 2 pelo governo Dilma. Porém, queremos chamar a atenção para o fato de que, se o desenvolvimento da indústria abre possibilidades para a geração de empregos, não garante, por si só, que esses resultados se traduzam em justiça social e distribuição de renda.

  • Pesquisa desenha perfil da nova classe média

    Da Agência Brasil: Perfil elaborado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República revela que a nova classe média brasileira, formada por 95 milhões de pessoas, tem a maioria feminina (51%) e branca (52%) e é predominantemente adulta, com mais de 25 anos (63%).

  • Mino Carta: o gato, a raposa e o Pinóquio

    O mundo está em crise, as razões estão diante dos nossos olhos, escancaradas. A causa recente remonta a menos de três anos atrás, quando foi declarada a falência do neoliberalismo, criminosa e tresloucada invenção pela qual em vez de produzir bens e serviços o homem passa a fabricar dinheiro. A raposa e o gato são os inspiradores do neoliberalismo e muitos entre nós, habitantes do globo terráqueo, somos herdeiros de Pinóquio, capaz de acreditar que moedas são sementes de árvores de florins, sertércios, coroas, dracmas. Se quiserem, dólares, euros, reais.