Outras Palavras


  • Dilma prioriza empresas e se afasta de centrais

    Da Carta Maior: Preferência do governo à negociação de pacote industrial com empresas incomoda centrais sindicais e foi o principal motivo para sindicalistas boicotarem evento. Eles temem perda de influência sobre rumos do governo com predileção de Dilma Rousseff por diálogo com empresários e quiseram marcar posição.

  • O câmbio e os urubus que têm penas no bico

    A oposição e o PIG não cansam de ficar prevendo o fim do mundo ali na esquina. É uma coisa de doido. Desde que Lula assumiu a presidência em 2003, uma assombração nova desponta no horizonte de seis em seis meses. E ela sempre tem relação com a inépcia dessa “gentalha” ligada ao PT e ao atual governo, que só sabe fazer barulho. Mas administrar que é bom, necas.

  • Lindbergh explica papel do BNDES: de Vargas a Dilma

    De volta ao batente, depois de um mais que necessário período de férias, recebo ótimo artigo do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), sobre o papel do BNDES: “A função de financiador do desenvolvimento que o BNDES desempenha tem se consolidado: em dezembro de 2007, seus desembolsos representavam 5,71% do PIB; em dezembro de 2010, representaram 9,24%.”

  • Política anti-imigração: barbarismo

    Por Slavoj Žižek: Até recentemente, na maioria dos países europeus dominavam dois principais partidos que agregavam a maioria do eleitorado: um partido de centro-direita (democrata cristão, liberal-conservador, do povo) e um partido de centro-esquerda (socialista, social-democrata), com alguns partidos menores (ecologistas, comunistas) reunindo um eleitorado ainda menor. Recentes resultados eleitorais na Europa ocidental e no Leste Europeu sinalizam o surgimento gradual de uma polarização diferente.

  • Tucanos detonam a “Cultura”. TV pública pra que?

    Por Miro Borges: O Estadão teve acesso com exclusividade a um relatório interno da TV Cultura. O cenário é desolador. Sua audiência despencou nos últimos anos. A média atual é a mais baixa da sua história – correspondente a 0,8 ponto, o equivale a 47,2 mil domicílios. Essa queda teve reflexos na própria arrecadação da emissora: em maio, a receita obtida foi 58% menor do que a prevista pela atual administração.

  • Bolívia aprova avançada ‘ley de medios’

    Por Idelber Avelar: Foi aprovada ontem (29) pelo Senado boliviano, e deverá ser sancionada em breve pelo Presidente Evo Morales, uma audaciosa lei de telecomunicações que estabelece um marco regulatório para a propriedade privada de rádio e televisão no país e garante vários direitos aos povos originários. A lei também cria um processo de licitação pública para todas as concessões de redes comerciais e estabelece requisitos que deverão ser cumpridos pelas concessionárias privadas.

  • Bolívar, Chávez e o bolivarismo: 200 anos depois

    Do Sul 21: Talvez nenhum líder político nascido no século XVIII tenha tanta presença em nossos dias quanto Simón Bolívar, nascido em 1783 em Caracas, na Venezuela, e morto em 1830, há 181 anos, em Santa Marta, na Colômbia. O homem que é a inspiração de Hugo Chávez foi notícia recente e não apenas por seu aniversário, transcorrido no último domingo (24), mas pela exumação de seu cadáver. Na Venezuela bolivariana persiste a discussão sobre se Bolívar teria sido assassinado.

  • Por que a oposição não fala de economia?

    Da Carta Maior: No Brasil, diante da total ausência de programa, de projeto, os representantes políticos e midiáticos deste modelo fracassado que levou a economia mundial para o atoleiro, voltam-se mais uma vez para o tema da corrupção. Essa é uma história velhíssima na política brasileira. Já foi usada várias vezes, contra diferentes governantes. Afinal de contas, os corruptos seguem agindo dentro e fora dos governos.

  • Celso Amorim: a internet e a era do preconceito

    Nesta era da internet a informação é instantânea. A desinformação também. A notícia sobre os trágicos atentados de Oslo chegou-me enquanto eu navegava pelos sites que costumo frequentar para me atualizar sobre o que ocorre no mundo. Obtive a primeira explicação, que veria em seguida nas versões eletrônicas dos jornais brasileiros, segundo a qual o perpetrador dos atos terríveis era alguém a serviço de um movimento fundamentalista islâmico.

  • A maioria da população é contra a união gay. E daí?

    Por Leonardo Sakamoto: Uma pesquisa do Ibope Inteligência, divulgada hoje, mostra que 55% dos brasileiros são contrários à decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu a união de casais do mesmo sexo. Segundo o estudo, as mulheres, os mais jovens, os mais escolarizados e as classes mais altas são os que menos se incomodam com o acesso a esse direito. Para ser sincero, imaginei que a porcentagem ia ser bem maior, considerando que nossa sociedade foi forjada no que há que de pior do machismo e do patriarcalismo.