Record expõe relações Veja-Cachoeira

publicada segunda-feira, 07/05/2012 às 00:24 e atualizada terça-feira, 08/05/2012 às 11:01

Quem vai rir por último?

por Rodrigo Vianna

Bob Civita ficou mais parecido com Rupert Murdoch – o barão da mídia investigado por ações criminosas na Inglaterra.

Bob e Abril foram pra tela da TV, em horário nobre: 15 minutos devastadores de reportagem – bem editada, didática, com texto sóbrio e ótimos entrevistados. E isso tudo não se passou num canal de notícias, a cabo. Não. Foi na TV aberta, num domingo à noite. As relações entre ”Veja”  e a quadrilha de Carlinhos Cachoeira foram expostas de maneira inédita para milhões de brasileiros.

Quem navega pelos blogs e as redes sociais talvez já conhecesse boa parte das informações apresentadas na boa reportagem de Afonso Mônaco, no Domingo Espetacular da Record. Mas o público da TV aberta é outro. Esse foi o grande mérito da matéria. Falou para gente que ainda não sabia detalhes dos fatos.

Além disso, serviu para “furar o cerco”. Há, claramente, um pacto entre a chamada “grande imprensa”. Ninguém avança nas investigações sobre “Veja”/Cachoeira. Nesse domingo mesmo, de forma tímida, a ombudsman da “Folha” cobrou do jornal mais informações. Pelo que se sabe, os chamados “barões da imprensa” fizeram um pacto e teriam mandado recados ao governo: não aceitarão a convocação de nenhum deles à CPI.

É um pacto contra a verdade. Contra o jornalismo. Essa gente me faz lembrar aquela velha figura do sujeito que,  diante da enchente que ameaça romper uma represa, acha que pode conter o desastre colocando um dedo na rachadura da barragem. Não adianta, minha gente! As águas vão rolar. Já rolaram, aliás…

“Veja”, “Globo”, “Folha” são sócios na campanha iniciada lá atrás, em 2005, quando decidiram partir pra cima do governo Lula. Quem não se lembra? Semanas seguidas, a “Veja” dava uma capa bombástica contra o governo e, no sábado à noite, lá vinha o “Jornal Nacional” pra “repercutir” a reportagem. Em geral, o JN promovia uma “leitura” televisiva de “Veja”. Na época, na Globo, até brincávamos: Ali Kamel tinha descoberto uma nova linguagem de telejornalismo – recheava a tela com páginas da revista, e colocava um repórter para ler o conteúdo. Era televisão por escrito.

Mais que isso. Em 2006, perto do primeiro turno das eleições, lembro-me perfeitamente da semana em que a “Istoé” trouxe uma entrevista do empresário Vedoim, com sérias denúncias que respingavam nos tucanos. Foi na mesma semana em que os “aloprados” acabaram presos com dinheiro quando se preparavam pra comprar um dossiê contra tucanos (supostamente, o conteúdo do tal dossiê era semelhante ao da reportagem da “Istoé”). A Globo, naquela semana, criou uma força-tarefa para detonar os aloprados. Jornalisticamente, estava certo. Era assunto relevante. Mas e o outro lado? Foi o que eu e alguns colegas perguntamos ao chefe da Globo em São Paulo. “Não vamos repercurtir a capa da Istoé, do mesmo jeito que fazemos toda semana com a Veja?”, indaguei do chefe. Ele deu um sorriso maroto, e concluiu: “a Istoé é uma revista sob suspeita”.

Lembro de ter perguntado a ele: “quem decide que a Veja é séria, e a Istoé  é suspeita?”. Ele respondeu com outro sorriso.  Hoje, a “Veja” é uma revista sob suspeita. E isso, de certa, forma respinga pro lado da Globo. A grande fonte do JN de Kamel, durante anos, bebia nas águas de Cachoeira.

A Suzana Singer – ombudsman, jornalista correta que eu conheço há muitos anos – pode continuar cobrando que a “Folha” exponha os podres da “Veja”. A direção do jornal já tomou sua decisão de blindar a “Veja”. Decisão inútil, aliás. Porque a relação entre a revista de Bob Civita e a quadrilha de Cachoeira tornou-se um segredo de Poli-chinelo.

 Nas redes sociais, a “Veja” segue apanhando. No twitter, pela terceira semana seguida, a revista foi parar nos TTs (espécie de ranking que aponta assuntos mais comentados): #VejaBandida, #Vejapodrenoar, #VejavaipraCPI.

A revista tenta se defender nas redes sociais, de forma patética. É batalha perdida.

O que pode fazer a Abril? Conversava sobre isso com outro blogueiro sujo nesse domingo à noite. A conclusão: o melhor que a editora pode tentar, a essa altura, é agir em silêncio, pressionando nos bastidores, para evitar a convocação de Bob Civita.

Pode até conseguir – dada a tibieza de algumas lideranças no campo governista. Mas será impossível evitar que a “Veja” vire tema da CPI.

“Poli” e “PJ” (nos grampos, era assim que a turma do Cachoeira tratava Policarpo Junior, o diretor da “Veja” em Brasília). “Pensei que ele fosse me dar um beijo na boca”, disse um dos cachoeirentos num momento de maior descontração, citando o amigo Poli…

Cachoeira virou um editor, a escolher as seções da revista onde gostaria de ver publicadas as notinhas e matérias que lhe interessavam.

Tá tudo nos grampos, escancarado.

Isso não é relação de jornalismo com fonte – como bem explicou o professor Laurindo Leal Filho, na reportagem da Record.

A “Veja” que arrume outra desculpa. Ou que entregue a cabeça de Poli pra salvar a de Bob Civita.

Leia outros textos de Radar da Mídia

45 Comentários

45 Comentários para “Record expõe relações Veja-Cachoeira”

  1. Filippini disse:

    A Record tem que reeditar algumas vezes esta matéria.

    Sugestão minha.

    Segunda 07/05/2012,Quarta 09/05 e Sexta-Feira 11/05

  2. Cláudio disse:

    Também notei esse trecho em que o Cláudio Abreu (Abreu ? Abril ? . . . Tudo a ver . . . ) ironiza a subserviência policarpiana e postei no Blog da Cidadania :

    “Achei que ele ia me dar um beijo” . . . Esses caras, se não fossem criminosos, seriam até engraçados. Mas acho que vão no máximo entregar o anel policarpiano para não perderem os dedos. Valeu pela dica. Eu quero é mais ! ! !

  3. Adilson disse:

    Rodrigo,

    A Record está de parabéns, pois o Jornalista Afonso Mônaco usou sol com desinfetante na sua reportagem. Impagável, simplemesmente, espetacular!!!

  4. Parabéns Record, Rodrigo Vianna, Azenha, PHA, Eduardo Guimarães, Luis Nassif e outros blogueiros sujos que defendem o nosso Brasil.

  5. Zé Francisco disse:

    Parabéns à Record. Em pleno século XXI o brasileiro não tem o direito humano à informação reconhecido. lamentável.

  6. spin disse:

    Que a Record e Record News reprise esta matéria pelo menos umas 50 vezes, como diria o Demóstenes, “bom demais” (ele dizia isso ao se referir à queda de ministros que, para ele, iria resultar na queda de Dilma)

  7. jefff disse:

    O Lauro Jardim do radar online também prestava serviço ao Cachoeira.

  8. spin disse:

    Apesar do silencio obsequioso sobre os assunto por parte da Globo e cia este é um momento histórico para o Brasil. Não a este monopólio dos veículos de comunicação, essa falta de diviersidade e concorrencia, esse pensamento único(por sinal criticam Cuba por causa disso). Inaceitável esse silêncio dos barões da midia por causa do toque de silêncio decretado pelo capo Civita. O Brasil merece mais respeito. A democracia continua sob o chinelo do crime organizado a partir do momento em que os meios de comunicação fazem o pacto para salvar a pele do mafioso Civita.

  9. foo disse:

    Apenas uma correção… acho que a expressão correta é “segredo de Polichinelo” (sem hifen).

    Polichinelo é uma personagem cômica de teatro de marionetes. Segredo de polichinelo, aquele de que todos participam.

  10. foo disse:

    …a não ser que o seu “Poli-” seja um trocadilho com Policarpo Jr.

    Poderíamos então dizer um “segredo de PJ-chinelo”? :D

  11. spin disse:

    E olhe lá que quando a reportagem da Record foi feita este video ainda não havia sido publicado, é o Cachoeira e Cachoeira falando do uso da Veja para derrubar Dilma. Como diria o Demóstenes, ai seria “bom demais”…rsss

    http://www.youtube.com/watch?v=JBPhDn9dPVg&feature=youtu.be

  12. Jeferson disse:

    Caríssimo Rodrigo Vianna,
    Concordo com Você, plenamente!
    Excelente matéria!
    Como Você esclarece, aqui, o alcance desta muito bem elaborada notícia ainda haverá de fazer acontecer…
    “Segredo de Poli-chinelo”: dez!
    Eis, o link, para todo mundo comprovar o feito do Jornalismo a respeito do “jornalismo” dos bandidos “que se escondem nas redações”:

    http://rederecord.r7.com/video/documentos-da-pf-mostram-que-veja-atendia-a-interesses-de-cachoeira-4fa7165c6b71517ecda2e07e/

  13. Antonio Soares disse:

    http://www.blogsdoalem.com.br/Pulitzer/Lendo a pagina do Blog do Alem na Carta Capital, penso que o Vitor Knijnick encontrou a explicação correta para o comportamento das marionetes (agora também robôs) do PiG. Vale a pena conferir o que Pulitzer nos diz a respeito.

    http://www.blogsdoalem.com.br/Pulitzer/

  14. João Vieira disse:

    Pô, Policarpo, o cara achou que ias até DAR UM BEIJO NELE… Essa fonte é D+ !…

  15. Rodrigo Vianna disse:

    Exato. A ideia era essa: segredo de Poli(carpo)chinelo. Tentam esconder, mas veio à luz. A cachoeira rolou.

  16. gaúcho disse:

    A rede Record presta grande serviço ao país,parebéns!

  17. Antonio Lyra Filho disse:

    A Record fez o que a Globo não teve coragem.

  18. nancy lima disse:

    Parabéns,esse pessoal não pode nos matar de raiva e vergonha,que jrnalismo de terceira!Prá cima deles e esse pessoal da CPI que comeu na mão do cachoooooo ei ra!

  19. Alberto Porém Jr. disse:

    Boa dia Rodrigo.

    A conversa 2 apresentada no texto pela ombudsman é muito reveladora para má sorte (boa sorte nossa) da da Folha.

    Deixa muito claro que a relação entre Cachoeira e a revista Veja ia muito além de simples fonte de informação, vejamos (rs…):

    Claudio – Cê não tem nenhum caminho pra gente entrar dentro da Folha pra fazer uma interface lá, cara. To com problema aqui, mas não tenho ninguém.

    Claudio- É, amanhã vai sair uma matéria. Não, naquele (ininteligível) igual cê fez com a gente na “Veja”. Queria (ininteligível) alguma relação com a Folha, pô.

    Carlinhos – Vou ver se acho alguém, ok?

    Ao que parece a Ombudsman errou a toada nas alegações que a Folha deu reportagens desfavoráveis a Delta.

    A reportagem sobre o sobrepreço no Maracanã saiu dia 01 de Setembro de 2011 e a da paralisação em Cumbica saiu no dia 14 de setembro de 2011.

    Conforme pode se notar a data desta ligação (está no texto da ombudsman ), 24 de agosto de 2011, e Claudio diz claramente que a matéria sairia “amanhã”, ou seja,

    ou Carlinhos achou alguém, ou Suzana está escondendo algo.

    Agora, o que fica explícito mesmo é que Cachoeira tinha o poder de barrar na revista Veja, matérias desfavoráveis a Construtora Delta, é bem claro isto neste telefonema.

    Além de estar associada ao contraventor, a revista ainda turbinava a Delta não soltando matérias desfavoráveis à empresa. Isso é desinformação.

  20. Fatima medeiros disse:

    Caiu a mascara da veja e da Globo , gracas a briga com a Record, murdock brasileira, impressa marrom by by , repita a reportagem Record parabens !

  21. Silvia Guerra disse:

    Perfeita a sua análise Rodrigo Vianna, agora é acompanhar o desenrolar dos fatos durante esta semana na CPMI e a cobertura da mídia após a Record ter colocado o “dedo na ferida dos barões da desinformação.”

  22. Darcy Faria disse:

    Rodrigo, com todo respeito ao seu conhecimento da jornalista Suzana e também da própria seriedade da mesma, penso que seria muito interessante resgatar o período do Mário Magalhães como ombudsman da FSP em 2007. A Suzana, ao mesmo tempo que expunha a mídia, também a protegia.

  23. Adilson disse:

    Essa já era..tenho certeza!

  24. cida disse:

    Faço minha as suas palavras Antônio Morais ! Concordo em gênero, número e grau !! Tá passando da hora de desmascarar essa mídia podre e golpista. Vamos lá CPI !!!!!

  25. A Record está de parabéns, valeu Rodrigo, PHA, Azenha, Afonso Mônaco e outros empenhados em mostrar a verdade. Assisti a matéria no Domingo Espetacular e hoje pela manhã, a reprise, a Record tem que ir pra cima da Globo, denunciando as maracutaias que ela(Globo)esconde/blinda e esperar que a ex-platinada caia cada vez mais na audiência, vamos continuar a boicotar e em pouco tempo teremos a Record líder em audiência, há muito a plim plim caiu em descrédito.

  26. Emília disse:

    Por isso que assisto ao Jornal da Record e não ao Jornal Nacional.

  27. Eliana / Juiz de Fora - MG disse:

    A Globo está esperando passar o tempo ,(uns 30 anos), para depois registrar: erramos quando em 2012 não noticiamos o esquema Veja-Cachoeira pq estávamos enrolados até o pescoço naquela lama.
    Foi assim que eles fizeram em relaçãoà Campapanha pelas Diretas Já, “reconheceram o erro 30 anos depois.”

    Record PARABÈNS!
    Show!

  28. Francisco Antonio da Silva disse:

    “A Suzana Singer – ombudsman, jornalista correta que eu conheço há muitos anos”,dito por você, agente até tenta acreditar. Este cargo criado pela Folha é um “me engana que eu gosto”. Desde a eleição 2010, a Folha censura meus comentarios. Não os publica mesmo. Já reclamei com ela varias vezes e só recebi evasivas explicações.

  29. A voz da Veja e do Cachoeira:
    Robert(o) [Civita] na porta da cadeia
    em http://www.conversaafiada – jornalista Paulo Henrique Amorim
    “E você deve *ver TAMBÉÉÉÉMMM!” [RISOS]
    *vídeo histórico!…

    #######################

    ATÉ A VITÓRIA, SEMPRE, ‘MATUTADA’! TREMEIS INÍQUOS E ÍMPIOS!

    … Deus é misericordioso! Enfim, esses BANDIDOS/TERRORISTAS/FASCISTAS de meia-tigela… Vão conhecer o xilindró!…

    CPI DO PIG Já! [incluindo, óbvio, os "barões" da MÉRDIA nacional! De agora em diante, vocês forjarão a opinião pública do caralho, seus imbecis abjetos!...]

    República Destes Bananas Inadjetiváveis dos Estados Unidos do Brasil, parodiando um dos mais “ilustres” leitores – e beneficiários – do folhetim criminoso, [José] (S)erra, não à toa, o presidente eleito por esta organização criminosa, o PIG!…

    (Não existem “barões” e/ou jornalistas criminosos! Ou são “barões” e/ou jornalistas ou são CRIMINOSOS!)

    Em tempo – (re)convoquemos o egrégio e brioso Franklin Martins: Ley dos Medios já passou da hora! BRASIL (QUASE-)NAÇÃO!

    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  30. José Fernandes disse:

    tem que reprisar,reprisar ,reprisar…divulgar,divulgar..

  31. Apolônio disse:

    Parabéns à TV Record pelo programa de domingo. A Record levantou o véu, que as outras estavam escondendo à respeito da revista. Viva a liberdade de informação !

  32. … Será que as famigeradas Organizações(!) Globo e ‘Folha de São Paulo’ irão blindar o folhetim golpista ‘Veja’?!… Considerando as prováveis previsões, assinarão, pois, o atestado de cumplicidade ou, quiçá, de parceria com as maracutaias…

    Lulu Santos canta ‘Como uma onda [na cachoeira!]’ – Um tributo a Robert(o) Civita

    Nada do que foi será
    De novo do jeito que já foi
    [lido (sic)]
    um dia
    Tudo passa, tudo sempre
    passará
    A vida vem em ondas,
    como uma ‘cachoeira’
    Num indo e vindo
    infinito

    Tudo que se vê(ja)! não é
    Igual ao que a gente viu
    Um dia
    [nas capas e páginas amarelas, outras imundas, imundas!]

    Não adianta fugir
    Nem mentir pra si mesmo
    agora…
    (…)

    Como uma onda na ‘cachoeira’
    Como uma onda na ‘cachoeira’
    Como uma onda na ‘cachoeira’
    [do terrorismo e da corrupção!]

    EM TEMPO: Ley de Medios já!… Passou da hora!

    BRASIL (QUASE-)NAÇÃO!
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  33. Luís Braga disse:

    Maravilha, Record, repita essa reportagem durane a semana e faça outras, acompanhe a CPI de perto, agora é a hora de se diferenciar completamente das demais emissoras ( Sbt, Bandeirantes e globo, principalmente, que estão “quietinhas”, protegendo a veja e a tucanagem) e marcar muito pontos com a população, fazendo jornalismo de verdade.

  34. Candido disse:

    Caro Rodrigo, corrija a resposta a sua pergunta feita acerca de quem decide. A resposta em negrito deveria ser ISTOÉ e não Veja. No mais assino embaixo!

  35. Cláudio disse:

    “E o mais importante: na TV aberta, em horário nobre.”. Tem que ser assim, para furar o cerco de exclusão da informação aos que dela tanto necessitam.

  36. Luciano Bastiani disse:

    Rodrigo,
    Parabéns ao seu colega Afonso Monaco pela atuação brilhante que vem desempenhando na Record.
    Reportagens serias, lúcidas e sem direcionamentos.

  37. Encurralada pelos fatos, gravações e evidências de suas ligações criminosas, a veja parte para a agressão a Edir Macedo, que nada tem a ver com isso. Quem tem que se explicar (ou seja, inventar uma mentira qualquer, já que o Brasil inteiro já conhece a verdade apesar do boicote solidário do PIG)é Dom Bob Civita e seus boys: Policarpo Jr. e o histérico Reinaldo. A lista de crimes deste bando é enorme, e só conhecemos minúscula parte dela. A CPMI vai escancarar a máfia midiática, para o bem do Brasil e da Democracia.

  38. Aracy disse:

    Não dá mais para a Abril e a Globo esconderem a verdade. Bob Civita e Ali Kamel estão com os dias contados, mesmo se não forem convocados pela CPI. E como antecipou o Nassif, esqueçamos Poli, o capo é Bob Civita.

  39. rosa disse:

    Parabéns a Record , pelo belo trabalho jornalístico , no domingo ,desmacarou o esquema da IMPPRENSA MARROM , o jornalismo $$$$$$$$$ da veja veio à tona , a coluna do radar troca de opinião de acordo a ” verba” e o “verbo” ….do corrupto…é muitaa cascata pra essa cachoeira …

  40. Grace disse:

    È isso aí Rodrigo, vamos detonar OS QUADRILHEIROS DA MÍDIA!!! Essa corja de imundos, vagabundos, ordinários, facistas, torturadores da alma e do corpo de muitos brasileiros. Imprensa podre, corrupta, manipuladora, mentirosa.
    Rodrigo, me perdôa. Vou ter que vomitar estou passando mal…!

  41. Luís CPPrudente disse:

    A famiglia Civita vai perder muita influência criminosa com o fechamento da Veja Bandida.

  42. Fernando L. B. Vianna disse:

    Honestamente, eu esperava comemorar uma matéria mais comprometida com os fatos, e menos comprometida com a posição política de “pegar a Veja”.

    Dizem que há 200 conversas gravadas entre Cachoeira e Policarpo, e o repórter da TV Record reproduziu esta versão. Apresentou, no entanto, uma única, em que não há mais do que um aviso de Cachoeira sobre o paradeiro de Cláudio Abreu (Delta), a que Policarpo responde com um lacônico “ok, beleza”. Não deixa claro se Policarpo foi mesmo conversar com Abreu. Não deixa claro o ordenamento cronológico dos fatos tematizados: o aviso a Policarpo seria antecedente imediato da reportagem de Veja que detonou o esquema no Ministério dos Transportes, aquela que gerou a comemoração telefônica de Abreu e Cachoeira (áudio também divulgado na matéria da Record, mas editado diferentemente em mais de uma de suas passagens)? É o que fica sugerido, insinuado, mas cadê as datas que poderiam, senão comprová-lo, ao menos dar suporte à insinuação?

    No geral, onde estão os outros 199 áudios de conversas diretas entre Policarpo e Cachoeira? Estão no inquérito que atravessou a rua, do STF para o Congresso, e que dizem que vazou integralmente na internet? Mas o que contêm esses 199 áudios? Pelo visto, nada que comprometa Policarpo muito mais do que os áudios “indiretos” (conversas entre Cachoeira e Abreu ou outros de seus sócios). Ou então, as informações sobre esses 199 supostos áudios estão sendo guardadas (por quem?) para outro momento, de modo a produzir efeito mais devastador sobre Veja. Por que os 199 ainda não vazaram e nada se fala sobre esse não vazamento? Como é possível avançar hipóteses sem conhecer o seu conteúdo e sem nem sequer frisar esse desconhecimento? Ou será que a versão das “200 ligações” não passa de blefe? (De quem?)
    [SEGUE]

  43. [...] A Globo, até onde se sabe, não se associou a Cachoeira diretamente. Mas a Globo e o JN são “sócios” das “reportagens investigativas” policarpianas. Isso desde 2005. Ali Kamel adotou a estratégia do telejornalismo por escrito. Semanos a fio, o JN fazia a “leitura” das páginas de “Veja”, repercutindo para o grande público as “apurações” de “Veja”. Sobre isso, já escrevi aqui. [...]

  44. Vinícius Martins disse:

    ““Veja”, “Globo”, “Folha” são sócios na campanha iniciada lá atrás, em 2005, quando decidiram partir pra cima do governo Lula. Quem não se lembra?” Ridículo querer que todos engulam uns comentários como esse

Comentar