Aurélio revela: “fumei, mas não traguei”

publicada segunda-feira, 16/08/2010 às 20:40 e atualizada segunda-feira, 16/08/2010 às 20:40

O jornalismo virou fumaça

Quando era editor de Economia daquele que já foi o mais influente telejornal do Brasil, Marco Aurelio Mello foi obrigado, em alguns momentos, a transformar-se em ficcionista. Exemplo: o jornalismo ficcional a ele imposto proibia reportagens que trouxessem boas notícias sobre a economia  brasileira. Sabe como é, estávamos em 2006, Lula era candidato à reeleição, as notícias boas podiam favorecer o presidente…

Aurélio hoje trabalha em outra emissora, e criou um blog (“Doladodelá“) onde escreve ficção – histórias curtas, irônicas. Muitas vezes, parece a realidade pura e simples. Uma espécie de “A vida como ela é”.

Um desses textos ficcionais conta a história de jovens usuárias de droga, num dos bairros mais valorizados do Rio de Janeiro, que passam a incomodar os vizinhos do apartamento de cima, por causa de tanta fumaça. A partir de então, trava-se uma luta visceral entre as duas famílias. 

Espionagem,  manipulação, desespero.  

Os maconheiros e as maconheiras de boa família (moças bonitas, defensoras da livre iniciativa e que detestam Dilma e Chavez – ou seja, típicas maconheiras de direita da zona sul carioca) merecem toda a compreensão; é verdade.

Mas também merecem atenção as famílias incomodadas pelo fumacê infernal! É o que mostra a ficção de Aurelio.  Num outro capítulo da novela cibernética, o criativo blogueiro chega a imaginar uma entrevista com a dona do apartamento de cima, desesperada com a situação, mas disposta a lutar até o fim.

Por último, a bem-humorada conversa entre os ocupantes do andar de baixo. Gente poderosa, acostumada a mandos e desmandos, agora desnorteada com essa briga que ameaça dilacerar a família.

Ah, esse Aurélio. De onde vem tanta criatividade?

Ele mesmo confessa: “fumei, mas não traguei”.

Será que isso também é ficção?

Leia outros textos de Sopa de Letras

5 Comentários

5 Comentários para “Aurélio revela: “fumei, mas não traguei””

  1. Messias Franca de Macedo disse:

    Bomba, bomba: a nova
    capa da revista da Globo [a ‘Época’]!
    ‘O passado da Globo’ – como as Organizações Globo foram favorecidas pela ditadura militar que matou e torturou [covarde e impunemente – adendo nosso] no Brasil
    NOTA: “a capa” traz uma fotografia de dois ditadores do regime discricionário, de braços dados numa “mobilização” dos golpistas
    em – http://www.conversaafiada.com.br – ínclito e impávido jornalista Paulo Henrique Amorim

    REFLEXÃO:
    … Na lapidar fotografia acima, faltou apresentar o candidato que, atualmente, representa este eixo do mal, composto por estes ditadores energúmenos, torturadores sanguinários [e os seus filhotes contemporâneos], fascistas eternos, que mataram pessoas indefesas, sonhadoras, patriotas… Ou seja, faltou a imagem do candidato pré-derrotado da vez desta gente sórdida, MENTEcapta, corrupta, retrógrada e antinacionalista! O candidato da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL! O candidato que responde por José Ferra a Nação, o mesmo [José] (S)erra, da [nefasta] coligação ‘Contra o Brasil Nós Podemos MAIS’ – vide o golpe militar de primeiro de abril de 1964!…

    República Destes Trogloditas Bananas Genocidas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  2. René Amaral disse:

    Eu fumo e trago, mas planto o meu, garantidamente sem sangue e sem corrupção!

  3. Messias Franca de Macedo disse:

    NOITE MEMORÁVEL E HISTÓRICA!

    … O casal VINTÉm anunciou os resultados da última pesquisa GLOBOPE: O trem-bala da Dilma está 11% à frente da bicicletinha da Soninha do (S)erra!

    NOTA: o golpista [Willian] MAUnner, todo desengonçado e atônito, afirmou: “A candidata Dilma poderá ser eleita no primeiro turno”

    FALA MATUTO ‘BANANIENSE’: É A LÓGICA, ESTÚPIDO!

    BRASIL – em homenagem ao fenômeno Lula, a Dilma [A Magnífica] e ao honesto e trabalhador povo brasileiro
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  4. Quem nem o presidente Bill Clinton. Alías, parecido com Monica Levinsky, que ch**** mas não en*****.

  5. Messias Franca de Macedo disse:

    UMA MODESTA RECOMENDAÇÃO À DIGNÍSSIMA COMPANHEIRA DONA EVA [DO ATAQUE DE RISO]

    A cada gol contra da DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL, eu tenho que recorrer a doses cavalares de *Gargalhaditil®!
    Recomendo à senhora!

    *Gargalhaditil® é um medicamento genérico produzido pela BAHIAFARMA, empresa estatal extinta(!) pelos governos carlistas [aliados do (S)erra erra até no vice!]. Este medicamento é usado para a prevenção e tratamento de crises indômitas de gargalhadas!

    República Desta Direitona Hilária, Aloprada e MENTEcapta…
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Comentar