Cachoeira e a imprensa


  • Grampos do Cachoeira: quem é o “repórter do G”?

    A “Veja” tem razão, minha gente. É preciso reconhecer. Está na hora de levantar essa “Cortina de Fumaça” e enxergar o que há atrás. A CPI do Cachoeira tem muita coisa para investigar. Jornalistas muitas vezes falam com bandidos para denunciar outros bandidos. Falar não significa virar parceiro. Mas está claro que uma parte da imprensa brasileira usou sistematicamente os serviços do “empresário de jogos clandestinos”.